segunda-feira, 21 de março de 2011

PS permite votações do PEC 4ª feira se oposição exigir

Francisco Assis, líder parlamentar do PS, afirmou hoje que os socialistas não irão opor-se a votações de resoluções sobre o Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), caso seja essa a vontade das forças da oposição quarta-feira no Parlamento.
A posição foi transmitida aos jornalistas por Francisco Assis no final do encontro com o primeiro-ministro, em São Bento, sobre o PEC e agenda da próxima cimeira europeia, quinta e sexta-feira, em Bruxelas.
Diário de Notícias
***
Não é a três dias da reunião das duas cimeiras europeias que se apresenta à oposição, para discussão e negociação, o conteúdo de um documento de importância vital para o futuro do país. O documento da actualização do Plano de Estabilidade e Crescimento, que anualmente o governo tem de apresentar a Bruxelas, e cuja primeira versão o governo ocultou manhosamente, apresentando-o aos parceiros europeus como definitivo, sem primeiro o dar a conhecer à Assembleia da República e ao Presidente da República, exige um prazo mais dilatado para ser negociado e alterado com novas propostas, já que a condição minoritária do governo assim o exige. José Sócrates e o PS não são os donos do país e não podem comportar-se como se detivessem a maioria absoluta no parlamento.
Toda esta encenação, onde a mentira e a falta de sentido de Estado ocuparam um lugar proeminente, demonstra que o governo não tem vontade em negociar coisa nenhuma, e que apenas pretende, para sobreviver politicamente, continuar a conduzir o país para o suicídio colectivo, obedecendo cegamente às ordens da senhora Merkel.
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1811264

Sem comentários: