sexta-feira, 11 de março de 2011

Governo anuncia novo PEC com mais austeridade já para 2011

O PEC rosa está entusiasmado por nos sodomizar as finanças
(Imagem e legenda do Indesmentível)
*
O ministro das Finanças anunciou hoje novas medidas de austeridade no âmbito do Programa de Estabilidade Crescimento (PEC) em vigor, com o objectivo de obter uma margem adicional de 0,8 pontos percentuais do PIB para cumprir o objectivo do défice do Estado.
Estas novas medidas para 2011 incluem poupanças na saúde, redução de transferências para outros sectores, redução adicional de benefícios sociais e de despesas de capital, anunciou Teixeira dos Santos numa conferência de imprensa hoje de manhã no Ministério das Finanças.Em 2012, tal como em 2013, as reformas continuam congeladas e vai ser aplicada uma contribuição especial a todas as pensões acima de 1500 euros mensais, com carácter extraordinário, e que terá contornos idênticos aos das reduções salariais na função pública este ano, com taxas progressivas até ser atingido um máximo de dez por cento, abrangendo as reformas quer do sector público quer do privado.
Estas medidas foram anunciadas no mesmo dia em que veio a público que a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) terão descoberto um buraco nas finanças públicas portuguesas durante a sua missão técnica em Lisboa há duas semanas. A notícia foi dada pelo jornal alemão Financial Times Deutschland, que não adiantou detalhes.
PÚBLICO
***
Eu bem dizia, há dias, que José Sócrates deslocou-se a Berlim, em despacho, para obter autorização de Angela Merkel para o seu PEC 3. As manhas dos políticos portugueses já não me apanham desprevenido. Agora, o que eu não sabia, era que a equipa técnica da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu tinha descoberto um buraco nas finanças públicas portuguesas, que não deveria ser pequeno, o que, se é que não foi intencional para iludir a verdade das finanças públicas, revela a grosseira incompetência do ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, que deveria pedir a sua demissão, já que, no período difícil que o país atravessa, não se pode permitir tamanha irresponsabilidade técnica e política. Aliás, deveria ser o primeiro-ministro que deveria pedir a demissão do governo, já que a sua acção nociva e predadora mais não tem feito do que impor iníquos e insuportáveis sacrifícios aos portugueses, atingindo em cheio a classe média e o mundo do trabalho.
Além do corte nas pensões, uma medida completamente absurda, pois vai atingir a população mais idosa e desprotegida, o governo prepara-se para golpear seriamente a Serviço Nacional de Saúde e o sector da Educação. Reduzem-se os rendimentos das famílias e aumentam-se os custos dos serviços sociais. No entanto, os rendimentos do capital continuam incólumes à fúria obsessivamente devoradora do governo. Isto é injustiça social!
A demissão deste governo, o governo mais inepto, que Portugal já teve, desde o reinado de D. Sebastião, no século XVI, vai passar a ser uma exigência constante deste modesto blogue, que, também, a partir deste momento, deixará de ter qualquer tipo de respeito pelos actuais governantes. Ser-lhes-á votado o mesmo desprezo que se vota às máfias e aos bandos de salteadores.
É isto que vou deixar escrito na folha de A4, sugerida pelos organizadores da manifestação de amanhã, que deverá ser entregue com o protesto, individualmente expresso, por cada manifestante.
http://economia.publico.pt/noticia/governo-anuncia-novo-pec-com-mais-austeridade-ja-para-2011_1484325

Sem comentários: