quinta-feira, 24 de março de 2011

“Estou aqui para defender Portugal”, disse Sócrates em Bruxelas

José Sócrates recusou fazer comentários sobre a situação interna portuguesa à entrada da cimeira de líderes da União Europeia (UE) que acabou de ter início em Bruxelas, e que será em grande parte dominada pelas dificuldades do país.
“Estou aqui com uma única preocupação que é defender Portugal, é defender a moeda única e é defender o projecto europeu”, limitou-se a afirmar, frisando que “alguém tem de pensar no país”.
PÚBLICO
***
Acredito piamente que José Sócrates esteja a defender a moeda única e o projecto europeu, designadamente o projecto europeu da czarina Angela Merkel. Não está, certamente, a defender os interesses do país, tal como o PSD não os irá defender, se continuarmos a sujeitarmo-nos à chantagem da dívida e do défice orçamental.
A moeda única foi um dos factores que contribuiu para a perda da competitividade da economia portuguesa, perda essa que começou a dar os seus primeiros sinais uns dois anos antes da adesão ao euro. Uma moeda forte - que interessa muito à economia alemã, e sobre a qual nenhum país do clube do euro tem poderes para exercer a sua autoridade em relação às políticas cambial e monetária - prejudicou, até ao momento, as exportações portuguesas para os outros países da UE e para os mercados fora da Europa. Tivesse Portugal uma moeda própria, para poder desvalorizar em função das necessidades da sua economia, e não se chegaria a esta ruinosa situação. Entre 2000 e 2010, em termos comparativos, Portugal registou um empobrecimento de cerca de seis por cento. E a responsabilidade deste desastre vai por inteiro para os dirigentes do PSD e, principalmente, do PS de José Sócrates.

Sem comentários: