sábado, 19 de março de 2011

Porto (Oporto)

Amabilidade do João Fráguas, que sugeriu este filme.
*
Trata-se de um filme muito antigo. Talvez da década de vinte, do século passado, que mostra aquela faina febril das gentes do Porto. Mas, o que mais me surpreendeu, foi a acuidade do realizador, que escolheu cuidadosamente os melhores planos, para fazer um expressivo filme de reportagem, aplicando já as técnicas comunicacionais, que iriam moldar, nos anos trinta, este tipo de produção cinematográfica. Aquela cena, em que aparece em primeiro plano um barco rabelo a atravessar o horizonte visual do espectador, permite transmitir à imagem uma maior profundidade, o que também é inovador, e que foi sempre um objectivo perseguido pelos primeiros realizadores de cinema, a fim de ultrapassarem as limitações dos efeitos redutores da imagem bidimensional.

1 comentário:

Anónimo disse...

Belo!