terça-feira, 10 de maio de 2011

Sócrates acusado no FT de fazer discurso enganador sobre pacote de ajuda

Colunista do Financial Times fala em “cortes selvagens na despesa”
A gestão da crise por Portugal tem sido “apavorante”, e o anúncio por José Sócrates do acordo alcançado com a EU-FMI é um “ponto alto do lado tragicómico da crise”, segundo um artigo de opinião publicado no Financial Times de ontem.
José Sócrates é acusado de ter escolhido atrasar o pedido de assistência financeira “até ao último minuto” e o seu discurso de que o acordo pacote português é melhor do que o grego e o irlandês e que não seria muito doloroso não é verdade, na opinião de Wolfgang Münchau, um dos colunistas de longa data do diário financeiro britânico.
PÚBLICO
***
José Sócrates já não é levado a sério por ninguém. Na sua ânsia de ocupar o poder por qualquer preço, perdeu as referências éticas da política e está a expor o país ao ridículo. A sua credibilidade está de rastos. Elevou a mentira à dignidade de Estado e deu à verdade o estatuto das coisas inúteis. Com ele, a manipulação da opinião pública tem a força de um decreto-lei. A crispação é o seu estado de espírito natural, talvez fruto de algum problema mal resolvido na sua adolescência. O que lhe sobra em capacidade oratória, falta-lhe em eficiência e coerência governativas. Conduziu o país para o inferno, embora continue a prometer o céu.
Depois daquele patético discurso, a anunciar o teor do acordo firmado com a troika, em que minimizou a gravidade da situação e omitiu as  medidas mais devastadoras para a vida dos portugueses, José Sócrates levou ao extremo o seu desprezo pela verdade e pela transparência. Com a manobra caricata à volta do PEC4, procura reduzir o espaço da discussão pública dos problemas reais do país, e transformar o discurso político numa chicana, alimentada por uma inócua guerrilha verbal. Portugal não pode continuar a ser governado por este homem.
http://economia.publico.pt/Noticia/socrates-acusado-no-ft-de-fazer-discurso-enganador-sobre-pacote-de-ajuda_1493328

Sem comentários: