quinta-feira, 12 de maio de 2011

Notas do meu rodapé: É necessário um governo que promova o bem estar de todos os portugueses e não apenas o egoísmo de alguns


A renegociação da dívida, defendida pelo BE, foi também abordada, tendo Louçã chegado mesmo a citar um editorial da "The Economist", no qual é proposto que “todos os países da Europa devem renegociar a dívida a partir de agora”. Sócrates recusou liminarmente a hipótese, argumentando que “isso colocaria Portugal na lista negra dos países que não cumprem”.
PÚBLICO
***
A negociação e restrururação da dívida dos países europeus periféricos é incontornável, e deverá constituir-se num imperativo patriótico. O mesmo se poderá dizer em relação ao prazo para corrigir o défice orçamental, que tem de ser mais dilatado, já que, no actual contexto, o Estado não pode demitir-se, ao contrário do que defende a fundamentalista cartilha do neoliberalismo, das suas funções sociais e de agente de mudança no mundo da economia. Para isso, é necessário encontrar um governo que, na prática, defenda o interesse geral. 
Até aqui, e, principalmente, a partir da década de noventa, os governos transformaram-se em agências de negócios dos interesses dos grupos económicos e financeiros, e a quem coube a incumbência de, através da implementação de políticas especificas, promover a transferência dos rendimentos do trabalho para a carteira de rendimentos do capital. As auto-estradas eram decididas em função dos interesses das empresas construtoras; as privatizações, a preço de saldo, serviram para promover o ressurgimento dos grupos económicos, decapitados com o 25 de Abri; e a estimulação ao consumo de bens não transacionáveis (imobiliário, por exemplo) favoreceu exclusivamente os accionistas dos bancos.
O momento difícil, que o país atravessa, exige um governo patriótico, formado por pessoas honestas, não comprometidas com o pensamento único neoliberal nem com os interesses instalados, que promova uma verdadeira política de saneamento, corrigindo os erros passados, e, ao mesmo tempo, que ponha a funcionar a economia do país, para que todos os portugueses possam viver com um mínimo de dignidade, dentro  das possibilidades que a riqueza do país possa proporcionar.
http://publico.pt/Política/socrates-garante-que-ira-estudar-reducao-gradual-da-taxa-social-unica_1493759