quinta-feira, 26 de maio de 2011

Economista que previu a crise mundial defende reestruturação da dívida grega


O norte-americano Nouriel Roubini diz que a estratégia da zona euro está condenada ao fracasso. Ministro das finanças alemão é contra a reestruturação da dívida da Grécia e pede mais criatividade para enfrentar a recessão.
Nouriel Roubini, um dos economistas que previu a crise financeira mundial, defendeu hoje que a estratégia da zona Euro está condenada ao fracasso e, por isso, a Grécia deve fazer uma “reestruturação ordenada” da sua dívida.
PÚBLICO
***
Não há volta a dar. A reestruturação da dívida e, também, a prorrogação do prazo para a correcção dos défice orçamental e a saída do euro impõem-se cada vez mais como a única solução para resolver a crise dos países da periferia. A reanimação da economia não se pode fazer, condenando a maior parte da população à miséria. Ela só poderá operar-se através da adopção de uma moeda nacional de baixo valor em relação ao euro, para poder aumentar as exportações e diminuir as exportações. Claro que esta opção também conduzirá ao empobrecimento, tal como aquele a que conduzirá a aplicação o programa de ajuda da UE e do FMI, mas tem a grande vantagem de abrir oportunidades de crescimento mais acelerado e de distribuir os sacrifícios, que naturalmente se impõem, de uma forma mais equitativa. Só assim, e desde que se elejam governos honestos e competentes, dedicados exclusivamente ao bem público, os países em dificuldades poderão gerar riqueza para poder pagar a dívida, que deverá ser previamente reestruturada.
É necessário recordar que, no caso de Portugal, foi a adesão ao euro (além dos erros próprios dos governos) que obstaculizou a expansão das exportações e que provocou o crescimento do endividamento e dos défices orçamentais. 

Sem comentários: