quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Fortuna de Mubarak não chega aos 50 mil milhões de euros

A revista Forbes considera "improvável" que a fortuna do presidente do Egipto ascenda aos 70 mil milhões de dólares (51 mil milhões de euros), o que o transformaria na pessoa mais rica do mundo.
No seu site na Internet, a revista norte-americana, que elabora um ranking anual das pessoas mais ricas, considera aqueles números, divulgados na última semana pelo diário britânico The Guardian e pelo canal televisivo dos Estados Unidos ABC News, entre outros, como "exagerados" e "não demonstrados".
Diário de Notícias
***
Parece que falta apenas um euro para que que a fortuna de Mubarak ascenda, rigorosamente, aos 51 mil milhões de euros. Eu ofereço esse euro, para que o director da revista Forbes acerte as contas.
Se não houvesse mais argumentos importantes para exigir a demissão deste ditador, este, o da sua fortuna pessoal, obtida pelo esbulho e pela corrupção, seria suficiente, não só para o demitir, mas também para o julgar em tribunal.
O mundo está a acordar para uma realidade terrível e que tem a ver com a estratégia do grande capital financeiro e económico, que, para garantir a viabilidade do sistema neoliberal, impondo-o a nível planetário, recorreu ao recrutamento de sólidas fidelidades, através da corrupção dos dirigentes políticos, sejam eles ditadores, como nos países mais pobres, sejam eles assumidos democratas, como nos países ocidentais, onde os processos da acumulação de fortunas pessoais são mais discretos. E, naturalmente, Portugal não é excepção.
Só para dar um exemplo deste conúbio abjecto entre a política e o mundo dos negócios, destaco, além deste artigo sobre a fortuna pessoal de Mubarak, mais três títulos da imprensa de hoje, e que, naturalmente, despertam legitimamente fundamentadas suspeitas:
- Bancos (portugueses) mantêm lucros mas pagam menos impostos.(DN)
- Metade dos donativos aos Tories veio do sector financeiro. (DN)
- TMN justifica destruição de registos telefónicos do Face Oculta com questões de ordem técnica. (PÚBLICO)