sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

A foder, somos os maiores, carago...

Portuguesas muito satisfeitas com a sua vida sexual
Uma esmagadora maioria das portuguesas – 88 por cento para ser mais concreto – está satisfeita com a sua vida sexual. Segundo um estudo ontem divulgado pelo jornal “El Mundo”, as portuguesas são também as campeãs, entre cinco países europeus, na frequência do sexo: 81 por cento faz pelo menos um vez por semana.
Um estudo da consultora internacional Strategy One, em colaboração com a Pfizer – a farmacêutica que lançou o Viagra e que desenvolve diversos estudos na área da sexualidade – põe as portuguesas no topo da satisfação sexual. Atrás segue a Espanha, depois a Áustria, seguida da Alemanha e no final a Suécia.
PÚBLICO (**)
***
Ena!... Até que enfim! Desta vez não ficámos no fundo da tabela, prestes a baixar de divisão! Somos os maiores a foder, uma vez que elas, as portuguesas, andam satisfeitas. É pena que as fodas não entrem no cálculo do PIB, nem possam transformar-se em títulos do Tesouro, embora o primeiro ministro, José Sócrates, já ande a pensar em transformar os fodilhões portugueses em mercadoria exportável, para enviar para a Alemanha e para Suécia, países que acusam um défice acentuado deste produto, de elevado valor comercial. Das suecas já sabemos: homem que seja de português para baixo, chamam-lhe um figo. Agora, em relação à Alemanha, é que não se percebe lá muito bem. A não ser que os homens alemães tenham perdido o apetite sexual por estarem sempre a esbarrar na televisão, com a cara da chanceler Angela Merkel, que, diga-se de passagem, é uma grande seca. Nem o Zézé Camarinha lhe pega.
É certo que, para este surpreendente resultado, já existem várias opiniões. Uns, os da oposição (sempre os mesmos), dizem que os portugueses, de tanto serem fodidos pelo governo, acabaram também por aprender a foder. Os da situação, dizem que esta boa performance se deve à política cultural do governo, que tem subsidiado várias iniciativas, como foi aquela, realizada em Abril do ano passado, no Teatro S. Luís, onde foi levada à cena a peça de teatro de Mark Ravenhill, intitulada, FODER E IR ÀS COMPRAS (ver hiperligação), que foi um êxito, embora nos primeiros tempos os resultados tenham sido catastróficos, pois, enquanto os homens queriam foder, as mulheres optavam por ir às compras, o que não dava a bota com a perdigota.
(**) [29 DEZ 2013 - A hiperligação para este site do jornal PÚBLICO, de Fevereiro de 2011, encontra-se desativada]
http://publico.pt/Sociedade/portuguesas-muito-satisfeitas-com-a-sua-vida-sexual_1479635

1 comentário:

Graza disse...

Ó Alexandre... "mercadoria de exportação"? :)))) Só você conseguiria meter Sócrates neste post...