segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A Amado, Washington não poupa elogios, destacando que a ele se deve a iniciativa de levar países europeus a acolher presos de Guantánamo e assim ajudar ao encerramento da prisão. “Amado foi um grande amigo dos EUA, tanto no seu anterior cargo de ministro da Defesa como no actual”, refere um telegrama de Setembro de 2009. A mesma comunicação assinala que Amado “é equilibrado, reflexivo e procura sempre oportunidades para se coordenar politicamente com os EUA, se há discrepâncias prefere discuti-las discretamente”.
PÚBLICO
***
No dia 1 de Dezembro, a propósito de uma notícia do Expresso, sobre o pedido de autorização dos voos da CIA no espaço aéreo português, e onde se referia que o responsável da embaixada dos Estados Unidos em Lisboa considerava "vantajoso" continuar a "acariciar" o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, escrevemos a seguinte nota:
"Só não se sabe se o ministro Luís Amado foi acariciado, e de que forma. Na altura (2006), a sua homóloga estado-unidense era a secretária de Estado Condoleeza Rice, que era uma mulher de não se deitar fora. Mas segundo se afirma na notícia, os dois governantes nem sequer falaram no assunto, quando se reuniram a sós em 24 de Outubro de 2006, o que afasta qualquer suspeita".
Agora, e perante o que relata o PÚBLICO, sustentado em documentos publicados pelo WikiLeaks, fica-nos a certeza que Luís Amado foi mesmo acariciado, não se sabendo ainda por quem e aonde.
http://publico.pt/Política/diplomatas-revelam-que-socrates-permitiu-aos-eua-utilizar-as-lajes-para-repatriar-presos-de-guantanamo_1470628

http://clix.expresso.pt/wikileaks-eua-pediram-a-portugal-para-passar-com-voos-da-cia=f618753

Sem comentários: