domingo, 31 de outubro de 2010

Um Poema ao Acaso: Improviso breve para servir de salvo-conduto - de Ademar

Improviso breve para servir de salvo-conduto

Não tenho chaves
que sirvam nas tuas algemas
nem algemas
que sirvam nos teus pulsos
apenas um anel de memórias
e duas mãos sempre prisioneiras.
Ademar
20.01.2008

Sem comentários: