segunda-feira, 14 de junho de 2010

Um Poema ao Acaso: Escorrega-dor - Ana Saraiva



Escorrega-dor...

esse teu arco-íris onde posso escorregar sem pressas
onde vamos arranjar
essa chuva e esse sol
e que faremos da noite
e do frio agreste
que me faz correr para chegar depressa
para um abrigo que até podem ser todos os outros braços
e que faremos da manhã crua e pálida
e do sangue que nos toma lentamente
haja ou não sol
para queimar as ilusões
continuo?
e onde vamos arranjar
essa atenção
que propões desmedida e fácil como um amor
se os nossos olhos não vão além do mesmo tom
que foge em nuances ou gritos
já o vejo
não sei escorregar
.
Ana Saraiva
.
Retirado do abnoxio