quarta-feira, 2 de junho de 2010

Um parlamento rico num país cada vez mais pobre!...



Assembleia da República

Desconfiávamos, mas não sabíamos tanto.
Vamos passar.... A bem da Nação...

Diário da República nº 28 - I série- datado de 10 de Fevereiro de 2010
-RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.Poderão aceder através do site http://www.dre.pt/
Vamos ler;
Algumas rubricas do orçamento da Assembleia da Republica
1- Vencimento de Deputados ...........................12 milhões 349 mil Euros
2 - Ajudas de Custo de Deputados........................2 milhões 724 mil Euros
3 - Transportes de Deputados ...........................3 milhões 869 mil Euros
4 - Deslocações e Estadas ..............................2 milhões 363 mil Euros
5 - Assistência Técnica (??) ...........................2 milhões 948 mil Euros
6 - Outros Trabalhos Especializados (??) ...............3 milhões 593 mil Euros
7 - RESTAURANTE,REFEITÓRIO,CAFETARIA..............961 mil Euros
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares.................970 mil Euros
9 - Equipamento de Informática .........................2 milhões 110 mil Euros
10- Outros Investimentos (??) ..........................2 milhões 420 mil Euros
11- Edifícios ..........................................2 milhões 686 mil Euros
12- Transfer's (??) Diversos (??)......................13 milhões 506 mil Euros
13- SUBVENÇÃO aos PARTIDOS na A. R. ..................16 milhões 977 mil Euros
14- SUBVENÇÕES CAMPANHAS ELEITORAIS ....73 milhões 798 mil Euros
Em resumo e NO TOTAL a DESPESA ORÇAMENTADA para o ANO de 2010, é :€ 191 405 356,61 (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos)
- Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 - 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.Vamos lá então ver se isto agora já o começa a incomodar um "bocadinho".
Repare:
Cada deputado, em vencimentos e encargos directos e indirectos custa ao País, cerca de 700.000 Euros por ano. Ou seja cerca de 60.000 Euros mês. E depois pedem sacrifícios ao povo.
***
Recebi do meu amigo João Fráguas um mail, que circula na Internet, incluindo um apanhado de uma Resolução da Assembleia da República, aqui transcrito na íntegra, e que me merece o seguinte comentário:
Eu já desisti de me escandalizar com o regabofe à volta da mesa do orçamento do Estado. É uma verdadeira obscenidade, que indigna o cidadão e ofende a democracia, corrompendo-a e vilipendiando-a, através da imoral obtenção de benefícios, verdadeiramente desproporcionados e exorbitantes.
Tudo leva a crer que este orçamento da Assembleia da República, assim como os dos vários ministérios, teriam sido intencionalmente inflacionados, em relação aos do ano anterior, na expectativa de virem a sofrer cortes posteriores, impostos pelas medidas de austeridade do governo. Com esta manobra, que escondeu camufladamente o aumento real da despesa prevista dos gabinetes ministeriais e da Assembleia da República, criou-se a ilusão, ao nível da opinião pública, de que os sacrifícios também seriam exigidos aos políticos. O que não é verdade. No miolo do poder político as coisas continuam a correr como se não houvesse crise. É o típico comportamento incivilizado e grotesco de um país terceiro-mundista.
Mas, como disse, eu já deixei de me escandalizar. E até ficarei calado para sempre, se, daquela fabulosa verba orçamentada, no valor de € 191.405.356,61, me oferecerem os 61 cêntimos. Contento-me com pouco!