quinta-feira, 17 de junho de 2010

E o dinheiro guardado nos colchões também conta?...


As pessoas que estão a receber rendimento social
de inserção (395 mil), subsídio social de desemprego
(120 mil pessoas) ou abono de família (1,7 milhões
de agregados) verão as suas prestações serem
reavaliadas à luz das novas regras ontem publicadas
e que entram em vigor a 1 de Agosto.
Na prática isto significa que muitos destes subsídios
poderão baixar ou mesmo ser cortados, uma vez
que o rendimento dos beneficiários passará a ter em
conta os juros de depósitos bancários, as rendas, as
pensões pagas por fundos de pensões ou os apoios ao
nível da habitação social, que até agora não eram
contabilizados.
PÚBLICO
***
O desmantelamento da Segurança Social já começou. A aparente razoabilidade de algumas destas medidas, agora anunciadas, e que não constavam no Orçamento de Estado nem em nenhuma das versões do PEC, e que o cidadão comum até poderá considerar justas, contrasta flagrantemente com a injustiça e a irracionalidade de isentar, nos planos de austeridade, os elevados rendimentos do capital financeiro e das clientelas políticas com assento nos ministérios.
São os mais pobres que estão a pagar a crise.

Sem comentários: