domingo, 27 de junho de 2010

Ministério contesta críticas ao facilitismo das provas para repetentes do 8.º ano


O Ministério da Educação contestou hoje as
críticas feitas aos exames nacionais do 9.º
ano destinados a um grupo de alunos
repetentes no 8.º ano de que seriam mais
fáceis para permitir o sucesso daqueles
estudantes.
Em comunicado, o Ministério considera que
não existe “qualquer fundamento a
argumentação que sustenta a existência de
uma redução do grau de dificuldade das provas
da 2.ª chamada, por comparação com as da 1.ª
chamada, com intuito de facilitar o sucesso dos
alunos”. Pela primeira vez este ano, os alunos
repetentes no 8.º ano com mais de 15 anos
puderam realizar os exames do 9.º ano na 2.ª
chamada.
PÚBLICO
***
Ou me engano muito, ou estas meninas e meninos que, frequentado o 8º ano, como repetentes, acabaram por fazer exame do 9º ano (a aprovação estará garantida para a maioria), ainda acabam por vir a concluir a licenciatura de engenharia, na variante de Inglês Técnico, e um deles, pelo menos, ainda poderá a aspirar ao cargo de primeiro-ministro, daqui por alguns anos.