sábado, 30 de abril de 2011

PIDE: Para que a memória não esqueça...

Da amiga Drª Pilar Vicente, recebi esta mensagem, que já circula na internet, e que pretende ser um apelo à consciência dos democratas, para que se mobilizem contra as forças ocultas que pretendem branquear a acção da PIDE e do fascismo, através de um espúrio julgamento em que se pretende reabilitar a figura sinistra de Silva Pais, o director da polícia secreta salazarista.
Eis o seu teor:

 Date: Fri, 29 Apr 2011 12:25:51 +0100
Creio ser nosso dever repudiar esta acção e se possível estarmos presentes no julgamento no Dia 3 de Maio, pelas 9h15, Lisboa, no 2º Juízo Criminal, 3ª Secção, Avenida D. João II, 10801 – Edifício B. Parque das Nações.
(convém confirmar)
Cumprimentos
EB
***
Date: 2011/4/28
Subject: Dia 3 de maio - julgamento

Dia 3 de Maio, pelas 9h15, um julgamento que nos remete para os tempos da ditadura…
Os réus: Margarida Fonseca Santos (autora), Carlos Fragateiro e José Manuel Castanheira (ex-directores do Nacional D. Maria II) – somos acusados, pelos sobrinhos de Silva Pais, dos crimes de difamação e ofensa à memória de pessoa falecida. No seu entender, denegrimos a imagem do último director da PIDE com a adaptação para teatro do livro A Filha Rebelde (de José Pedro Castanheira e Valdemar Cruz), feita para o TNDM em 2007, com encenação de Helena Pimenta.
O Ministério Público não acompanhou a queixa.
Conquistámos, no 25 de Abril, a liberdade de expressão, que está agora posta em causa. Mas, mais grave ainda, esta é uma tentativa de branquear a imagem daquele que foi o responsável máximo da PIDE – a polícia política que perseguiu, torturou e matou muitos opositores ao regime, entre eles o General Humberto Delgado.
Pedimos que divulguem isto aos quatro ventos.
Um abraço
Margarida Fonseca Santos

Sem comentários: