sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Um Poema ao Acaso: Um poema de Herberto Helder

Picasso

Estende a tua mão contra a minha boca e respira
e sente como respiro contra ela,
e sem que eu nada diga,
sente a trémula, tocada coluna de ar
a sorvo e sopro,
ó
táctil, ininterrupta,
e a tua mão sinta contra mim
quanto aumenta o mundo

Herberto Helder
Ofício Cantante