sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Até Alberto João Jardim chama "ladrão" ao Estado!



Jardim chama “ladrão” ao Estado por não lhe permitir acumular reforma
O presidente do governo regional da Madeira, Alberto
João Jardim, acha que o Estado português “é ladrão”
porque não permite a acumulação de pensões de
aposentação com qualquer tipo de salário no sector
público.
O governante madeirense que acumula o vencimento
do cargo com a totalidade da pensão da reforma,
quando a nível nacional apenas era permitir juntar
com um terço da outra remuneração, insurgiu-se
hoje contra nova medida aprovado pelo governo da
República que proíbe qualquer acumulação. Devido
a esta decisão do Ministro das Finanças tomada no
âmbito do plano de austeridade, o também conselheiro
de Estado anunciou que vai “pôr o Estado em tribunal”.
PÚBLICO - Por Tolentino de Nóbrega
***
E o homem até tem razão. Isto de tomar medidas com efeitos retroactivos - como fizeram com os desempregados, que lhes alteraram as regras do jogo a meio do campeonato, quando já estavam a receber a prestação do seu subsídio de desemprego, segundo as normas vigentes, à data do início da sua inscrição, como desempregados, nos centros de emprego - também é escandaloso e inconstitucional. E, na altura, Alberto João Jardim não se fez ouvir com a sua voz tonitruante.