sexta-feira, 9 de maio de 2014

INE: Desemprego no 1º trimestre baixa 2,4 pontos percentuais


A taxa de desemprego baixou 2,4 pontos percentuais no primeiro trimestre de 2014, comparativamente ao mesmo período de 2013, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). A taxa estimada é de 15,1%.
A taxa de desemprego estimada para o primeiro trimestre de 2014 foi de 15,1%, sendo inferior em 2,4 pontos percentuais comparativamente ao período homólogo de 2013 e em 0,2 pontos percentuais ao estimado para o trimestre anterior, de acordo com os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
Notícias ao Minuto

***«»***
A Estatística é uma ciência exata, porque se apoia na Matemática. Mas poderá ser uma volúvel técnica especulativa e manipuladora, conforme a escolha que se faça na abordagem ao objeto em estudo. No caso da avaliação da evolução da taxa de desemprego, e considerando as particularidades da atual situação social do país, ela será sempre insuficiente, e até supostamente parcial e tendenciosa, se a respetiva abordagem não considerar a emigração dos jovens em idade ativa, que, como se sabe empiricamente, é muito elevada. 
O INE, ao apresentar, desta forma simplista e primária, a evolução da taxa de desemprego, está objetivamente a dar ao governo um argumento de peso, que irá ser utilizado como arma de arremesso propagandístico e apresentado como confirmação do sucesso das suas políticas de austeridade. E isto não é verdade, pois o desnível acentuado entre um maior número de empregos destruídos em relação ao número dos empregos criados demonstra precisamente o contrário.
À Estatística não lhe basta ser exata. Tem de ser também séria.

2 comentários:

Alexandre de Castro disse...

Com este governo, a estatística não é séria, nem no período da caça (ao voto) nem no período do defeso. Nunca o golpismo legislativo atingiu os níveis atuais. A mentira é substrato da governação. A instituição Estado, que deveria impor-se ao respeito dos cidadãos, pela sua seriedade e honestidade, desceu ao nível da sarjeta, do vomitório e da sanita. Já não há papel higiénico para tanta "merda".

Ana disse...

A estatística ´é tudo menos séria....serve o Poder. Toda a gente sabe que os jovens estão a emigrar em massa. Mesmo assim, o desemprego nesta faixa etária subiu. E aqueles que nem no desemprego estão inscritos?? E ao que já perderam o subsídio de desemprego....Só fachada para enganarem os distraídos.