sábado, 7 de dezembro de 2013

Homenagem a Nelson Mandela


Um gigante que transformou em anões os seus algozes do passado e todos os hipócritas que falsamente o adulam no presente. Ergueu-se da terra para libertar o seu povo, acabando por iluminar o mundo com o seu humanismo e o seu exemplo. Regressa à terra na apoteose olímpica da sua vitória sobre as forças do Mal. Mesmo morto, Mandela continuará a lutar, porque um homem desta envergadura e desta têmpera nunca morre.
Alexandre de Castro

***«»***
**
**
**
**
**
**

Invictus, foi o poema mais famoso de William Ernest Henley, um poeta e jornalista britânico, do século XIX, e que Mandela considerava um poema inspirador. Lia-o sempre, quando necessitava de retemperar a sua coragem. (Descobri este vídeo na página da Silvia Fontes).
**
http://www.noticiasaominuto.com/mundo/142696/primeiro-ministro-checo-espera-conseguir-nao-ir-ao-funeral#.UqSXWtJdUWR
Não foi preciso esperar muito tempo, para que um dos tais hipócritas, aos quais me refiro no meu texto de homenagem a Mandela, se revelasse cruamente, através de um traiçoeiro e indiscreto microfone. Também anda por aí mascarado um indígena lusitano, de igual quilate.

4 comentários:

Maria disse...

Uma bonita homenagem, onde o fim é tão somente um início.

''...e não me atrevo a demorar, pois a minha caminhada ainda não terminou.''

Beijinho

Alexandre de Castro disse...

"onde o fim é tão somente um início": Uma frase que se aplica com oportunidade à grandeza de Mandela.
Obrigado e beijinhos.

silvia fontes disse...

Uma homenagem através destas suas palavras de que muito gostei. Um eterno lutador pelos direitos do povo, sentimento a rarear nos nossos dias em que Homens desta envergadura nos deixam fisicamente e espero que outros peguem no seu legado e o honrem na continuidade dos objectivos pelos quais Mandela se regeu. O meu obrigada por este seu sentir.

Alexandre de Castro disse...

A Silvia Fontes, no seu espaço, também não regateou os merecidos elogios a um homem que marcou caminhos para o futuro da Humanidade.
Não o podemos trair nem esquecer o seu grandioso legado.