sábado, 29 de novembro de 2014

Notas à margem: A corrupção em Portugal


Nem o Júlio Verne sabia que poderia haver um polvo com esta dimensão. Só em Itália, no tempo de Giulio Andreotti (democrata-cristão) e de Bettino Craxi (socialista). É curioso recordar que foi precisamente a corrupção dos políticos que liquidou o antigo sistema político-partidário italiano, embora o que lhe sucedeu não seja melhor. Andreotti, nos inícios da década de 90, do século passado, foi julgado por ligações à Mafia e por criar esquemas de financiamentos ilegais a partidos políticos. Em 2002, foi condenado a 24 anos de prisão, por cumplicidade no assassinato de um jornalista, pena que não cumpriu, devido à imunidade que o estatuto de senador vitalício lhe conferia. Bettino Craxi, devido à corrupção, teve de fugir de Itália, refugiando-se na Tunísia, onde veio a morrer. Também, curiosamente, quando Craxi morreu, Mário Soares elogiou-o muito, o que me leva a acreditar que Mário Soares tem uma vocação nata para elogiar mortos e mortos-vivos. Em resumo: A corrupção é a norma do Estado de Direito que nos venderam.
Os casos de corrupção, que estão a saltar para a opinião pública, através da Justiça, desferiram um grande coice nas nossas consciências de cidadãos, o que nos leva a duvidar da viabilidade do regime democrático, tal como o conhecemos desde há quatro décadas. O país ficou agarrado às cadeiras, de espanto. Espero que esse espanto se transforme em indignação e, depois, em revolta. Não podemos pactuar com esta escandalosa e pantanosa situação. A Justiça tem de atuar com toda a dureza que a lei permite, e eu espero que ela não se partidarize, o que seria um outro grande escândalo.

1 comentário:

Alexandre de Castro disse...

Portugal, Espanha e Itália têm muitas afinidades - políticas, sociais e históricas. São três países de expressão latina, serviram de suporte à tridentina Contra-Reforma, foram dominados por regimes fascistas e integraram a UE. Agora, descobriu-se uma outra dramática afinidade, a corrupção em grande escala do aparelho de Estado.