quinta-feira, 27 de junho de 2013

Poema: O súbdito país - por maria azenha

 óleo – Malevitch
Imagem selecionada pela autora

O súbdito país 

O súbdito país existe em uma longa oscilação 
entre o branco e o negro 

agora, a meio do dia, junto-me a ti, sob o a-pique do sol
em bagos rubros de suplício e voz 

coloco no fim destes versos uma lâmina azul
um relâmpago verde no quadrado de Malevitch

as coisas mais simples dizem-se em conjunto

maria azenha
2013-06-27


Nota: Um belo poema, de intencional oportunidade, porque escrito hoje e para o dia de hoje, 27 de Junho de 2013. A Poesia não é neutra. Está sempre comprometida: ou com os sentimentos e com as emoções, ou estilisticamente, na forma e no tema, ou, também, com as causas políticas e sociais. A Poesia é uma superior plataforma de diálogo e de intervenção, mesmo quando é passivamente contemplativa. E pode ser perigosamente subversiva.
AC