domingo, 12 de maio de 2013

Música: Omara Portuondo e Ibrahim Ferrer - Quizás, Quizás, Quizás

Amabilidade de João Fráguas, que enviou o vídeo
***
A música latino-americana, que, mais apropriadamente, deveria designar-se por música afro-latino- americana, resultou dessa profunda miscigenação dos colonos europeus  com os descendentes dos escravos africanos. A matriz da negritude entranha-se na língua do antigo colono, no caso da língua castelhana, polindo-a da sua aspereza original. Já no Brasil, operou-se a abertura das vogais, o que enriquece a tonalidade da linguagem falada, mais desprendida e livre.
A indolência arrastada do ritmo musical é uma herança inundada pela tristeza dos antigos escravos, que foram arrancados à sua terra, metidos à força nos negreiros para serem despejados como gado nas lotas, onde eram vendidos em leilão. A escravidão humilhante e degradante a que foram sujeitos deixou uma grande nódoa nos pergaminhos da moderna civilização ocidental, já desperta para a modernidade, através do Humanismo renascentista e do iluminismo e, mais tarde, aprofundada pelo estatuto da universalidade da igualdade dos homens, através da Revolução Francesa. Foi necessário esperar três séculos para que os grihões fossem serrados e a cidadania fosse assumida. Ficou a lendária melodia musical, que nos encanta, na voz quente de Omara Portuondo e de Ibrahim Ferrer (já falecido).
AC