sexta-feira, 2 de novembro de 2012

FMI em Lisboa para apoio à "revisão da despesa pública"


A equipa do Fundo Monetário Internacional que se encontra em Lisboa tem como missão dar apoio técnico à "revisão da despesa pública pelo governo", disse à Lusa fonte do FMI.
Na quarta-feira, o antigo presidente do PSD Luís Marques Mendes anunciou no programa Política Mesmo, na TVI 24, que as reuniões aconteceram nos ministérios da Administração Interna e na Defesa.
De acordo com o antigo líder social-democrata e atual conselheiro de Estado, as alterações podem passar por mais concessões a privados, nomeadamente nos centros de saúde e nos transportes públicos, pelo aprofundamento da mobilidade especial na função pública e por um aumento dos copagamentos dos cidadãos na Saúde e na Educação.
Diário de Notícias
***«»***
A primeira missão, a da Troika, veio para extorquir dinheiro aos contribuintes, através de um aumento brutal dos impoostos, e para reduzir à indigência os desempregados. A segunda missão, a do FMI, acolitada pelo Banco Mundial e por um representante da UE (uma troika renovada), e que chegou a Lisboa pelas portas das traseiras, vem para aprofundar o previsto, e o há muito tempo desejado, desmantelamento do Estado Social (Saúde, Educação e Segurança Social), uma autêntica aberração para o ortodoxo pensamento único neoliberal.
Depois de o país ficar exangue, a pão e água, virá a comissão liquidatária da massa falida, uma nova e pomposa missão para privatizar tudo o que ainda possa dar lucro elevado ao capital internacional.
Será o momento em que Portugal passará a ser uma colónia da UE, passando a exportar a única riqueza que lhe sobra: uma mão de obra barata e desqualificada.