domingo, 18 de julho de 2010

Um puxão de orelhas de primeira classe


A ministra do Trabalho esclareceu hoje que
o aumento dos salários da Função Pública
cabe ao Ministério das Finanças e assegurou
que “não há qualquer decisão sobre esta
matéria”, corrigindo a entrevista ao "Diário
de Notícias".
PÚBLICO
***
Helena André, tal como as suas colegas da Educação e da Cultura, ainda não percebeu que é uma ministra de 2ª classe, a quem cabe apenas fazer o trabalho sujo que o chefe do governo lhe ordena. A sua autonomia é reduzida e tem de se resignar, na sua insignificância, à sua função de resguardo do prestígio dos ministros de 1ª classe, cabendo-lhe anunciar publicamente as medidas mais impopulares.
Disse o que não estava autorizada a dizer, exorbitando das suas competências de escriturária graduada, e o chefe do governo ou o todo poderoso ministro da Finanças deram-lhe um valente puxão de orelhas e submeteram-na à extrema humilhação de se retratar publicamente, sendo obrigada a desmentir-se a si própria.
A vã glória de ser ministra por uns meses obriga a alguns sacrifícios. Esta humilhante desautorização é um desses sacrifícios.

Sem comentários: