segunda-feira, 12 de julho de 2010

Um Poema ao Acaso: O céu de Sequeira



O céu de Sequeira

Ao Ademar Santos

Ofereço-te o céu de Sequeira que verias
e nenhuma flor cortada, mas três beijos
sobre a pedra escaldante
como a tua memória aqui:

Um de mar, que é da Rosa.
Um de ar, que é da Ana.
Mais o meu, de terra e raiva.
Todos os três de palavras.

Maria Alonso Seisdedos

Em Sequeira, a 30 de Maio de 2010

1 comentário:

Sun Iou Miou disse...

É uma honra, Alexandre, aparecer no seu espaço. Obrigada.

María