terça-feira, 6 de julho de 2010

Pintura de Dália Faceira (Dacha)

Vielas do Porto

Nenúfares

Porto de abrigo

Tranquilidades
Chaparros alentejanos
E o dia se foi...

Entardecer

Masculinidade
***
Dália Faceira, minha antiga colega do liceu de Lamego, é uma notável pintora, já com uma obra assinalável, de grande qualidade pictórica, e com um vasto currículo de exposições, individuais e colectivas, em Portugal e no estrangeiro.
A propósito de uma exposição, em 2008, de antigos alunos do liceu de Lamego, numa nota crítica sobre evento, publicada no Jornal do Douro, escrevi sobre a sua obra o seguinte:
"Mas, se o observador estiver mais atento e apurar a sua sensibilidade (a pintura, como qualquer outra arte visual, vive dos sentidos e para os sentidos), vai descobrir como alguns autores marcaram a sua presença com uma intencional unidade, quer temática, quer cromática. É o caso, por exemplo de Dália Faceira, uma pintora que declarou que a sua obra é bastante diversificada, o que justifica a sua tentativa de fazer múltiplas experiências, trabalhando a cor e os materiais de forma segura e serena. E o que ela se propõe mostrar com as três composições abstractas que apresenta, caracteriza-se pela utilização em todas elas da mesma combinação de cores e do mesmo gradiente. Mas, apesar da suavidade das transições cromáticas, e da sua harmonia, o observador absorve a explosão da claridade que irradia de cada quadro. Dália Faceira, para pintar os seus nenúfares, explorou os resquícios da memória da panorâmica captada num lindo jardim de Barcelona, e que registou fotograficamente, para rever posteriormente. O que resultou desta experiência, condensada neste trabalho, leva a crer que a sua maturação como pintora já foi atingida".

2 comentários:

Maria José Meireles disse...

Lindo!...

Dacha disse...

Está convidada a visitar a minha exposição de pintura que se irá realizar em Caminha em fins de Junho até 4 de Julho
Espero por si Beijos
Dacha