segunda-feira, 5 de julho de 2010

PSD avança com lei sobre linhas de alta tensão, PS quer saber quanto vai custar

A lei é uma saída para as populações que vivem
perto das linhas de alta tensão. Nos últimos
anos, as "lutas" populares têm-se somado em
Almada, Fanhões (Sintra), Tunes (Portimão),
Celeiro (Batalha), Vermoil (Pombal) ou Serzedelo
(Guimarães). Problemas que teriam solução
mais fácil com esta lei que o PSD está a
ultimar, para proteger as populações dos campos
eléctricos e magnéticos.
PÚBLICO
***
Todos têm culpa neste processo, onde não houve planeamento nem coordenação. Do Estado, porque o governo da altura, quando da privatização, não acautelou o interesse nacional, não estabelecendo no contracto de concessão regras claras sobre a definição dos traçados das redes de alta tensão nem titulando o ónus das responsabilidades quando o interesse das populações afectadas estivesse em causa. Da REN, porque apenas se preocupou com a rentabilização dos seus investimentos, ignorando os incómodos e os eventuais prejuízos causados. Dos municípios, que permitiram novas construções nas zonas críticas, com o argumento de que já se encontravam urbanizadas.
Este é o lado negro das privatizações.