sábado, 3 de janeiro de 2015

Poema: Maria Azenha - "Repórter local"



Repórter local

Nunca encarei a Poesia como uma epístola aos pobres
Nem como um espelho de paz
Nem como um passatempo literário
para entreter académicos
Vejo-a como um trabalho moderno de Hércules
através de um específico repórter local 
que se chama Poeta

que não faz outra coisa senão Deixar bilhetes ao acaso
numa gare qualquer com o aviso “perigo de morte!”
© maria azenha

***«»***
Os perigos são imensos, alguns dantescos, e inimagináveis para a perceção do cidadão comum, mas aquele "repórter local", a que se refere poema, e que também se chama "Poeta", sabe, certamente, com o seu olhar perscrutador e abrangente, que o mundo caminha sobre um enorme vulcão. É um verdadeiro "trabalho de Hércules" evitar que as crateras se abram sob os nossos pés. E a Poesia é também uma arma, tal como a canção.
A minha homenagem à "poeta" maria azenha.
AC
*
A "poeta" maria azenha colabora regularmente no Alpendre da Lua.

Sem comentários: