sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Debates quinzenais com o primeiro-ministro podem ter os dias contados


Se PSD e PS não têm concordado em diferentes aspetos, parece haver pelo menos um ponto em que estão de acordo: os debates que, quinzenalmente, implicam a presença do primeiro-ministro no Parlamento, poderão ter os dias contados, adianta o Sol.
O modelo de debates quinzenais que contam com a presença do primeiro-ministro no Parlamento poderá terminar depois das próximas eleições. Os dois partidos mais representados na Assembleia da República – PS e PSD – parecem estar de acordo neste aspeto, noticia o semanário Sol.

***«»***
Começa a ser aplainado o caminho para um futuro governo do Bloco Central, em que será necessário resguardar a imagem do respetivo primeiro-ministro, eventualmente António Costa, evitando que ele se sujeite ao bombardeamento dos partidos da verdadeira esquerda. É que, no parlamento, com a hipotética coligação PS e PSD, a linha divisória entre esquerda e direita muda de posição, e vai assumir-se politicamente fraturante, proporcionando o aumento da visibilidade mediática do PCP, que liderará uma oposição muito combativa. E é esta situação incómoda que os partidos da troika querem a todo custo evitar, acabando com os debates quinzenais com o primeiro-ministro, no parlamento, e empobrecendo o debate democrático.

Sem comentários: