segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Bruxelas em campanha eleitoral na Grécia


Primeira ronda das eleições presidenciais é quarta-feira. Pierre Moscovici está hoje em Atenas.
A Comissão Europeia entrou em campanha eleitoral na Grécia, ainda que de forma disfarçada. Numa altura em que a Europa receia o desfecho das eleições presidenciais - antecipadas pelo primeiro-ministro Antonis Samaras para este mês -, Bruxelas esforça-se por passar mensagens de apoio ao candidato do governo, Stavros Dimas, que já foi comissário europeu.

***«»***
Trata-se de uma execrável ingerência da comissão europeia na política interna de um país membro, no sentido de influenciar, a favor do candidato seu preferido, os resultados das eleições presidenciais gregas, o que claramente viola as normas do Direito Comunitário. Perfila-se assim no horizonte a tendência totalitária e ditatorial do diretório político de Bruxelas, apoiado pela Alemanha e pelos países ricos da Europa, que não hesitará em cercear a liberdade e a independência dos povos europeus, quando estes descarrilem do pensamento único instituído e deixem de alinhar com as políticas castradoras, que estão ser-lhes impostas. 
O silêncio cúmplice dos restantes países membros, perante esta grave ingerência, prova até que ponto os partidos conservadores e os partidos sociais-democratas e socialistas, agregados na Internacional Socialista, e que são dominantes no quadro da governação, se encontram ao serviço do capitalismo financeiro europeu.

Sem comentários: