terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Notas do meu rodapé: FMI é a guarda avançada do capitalismo

Imagem do blogue "desenvolturasedesacatos"
O relatório do FMI foi encomendado e não é um relatório técnico. É um programa político, cujo objetivo único é conseguir uma diminuição da despesa do Estado em quatro mil milhões de euros, sem tomar em linha de conta as consequências desastrosas ao nível da coesão social. Aplicado, tal como está prescrito, levaria à indigência extrema de mais de metade da população portuguesa. Estamos perante uma tentativa de assassinato político do país. O governo da traição está apostado, para poder satisfazer as prepotentes exigências do capitalismo financeiro, em destruir o mercado interno e em asfixiar os pilares socais do Estado, mostrando, ao mesmo tempo, uma grande insensibilidade social perante a descomunal taxa de desemprego, que as medidas recessivas iriam provocar.
O governo pretende construir um outro país, tomando por modelo a Botswana ou a Somália.