segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Ana Drago não teve papas na língua...

"PSD criou a geração mais precária e agora tira direitos às gerações mais velhas"
Amabilidade do João Grazina
***
Ana Drago não teve papas na língua. Chamou os bois pelos nomes, arrasou um insignificante deputado do PSD, que ainda julga que os ricos não são mais ricos por causa dos pobres e que os problemas dos jovens de hoje são da responsabilidade das gerações mais velhas. Um deputado que arrota discursos descabidos e indigentes, que provocam o vómito, e cuja moral está ao nível do lixo da sarjeta.
Ana Drago demonstrou que não pode haver paninhos quentes, nem salamaleques e que, no parlamento, também é preciso partir a louça.

4 comentários:

Maria José Meireles disse...

Este discurso direto parece-me muito mais limpo do que o insulto subtil da meia palavra ou até o silêncio cúmplice.

Adérito Rodrigues disse...

Amigo Alexandre, faltam homens e mulheres como a Ana Drago, pequenos em altura física, mas gigantes na nobreza humana. A política não se faz a olhar para o umbigo e o dinheiro que se pode "chular" ao povo. É a deontologia dessa corja da nova classe política.

Alexandre de Castro disse...

Tens razão, Adérito. O político tem de estar ao serviço do bem público, assim como a economia deve orientar-se para o bem comum.
Um abraço.

João Afonso disse...

Uma mulher corajosa que não se verga aos desmandos de um "menino mimado". Se ele soubesse como a vida é dura, não se emproava como um qualquer "carapau salgado" que quando o sacodem só larga sal, mas ele nem isso.