terça-feira, 10 de agosto de 2010

Procura de casas em Portugal pode cair 80% com o envelhecimento da população

O aumento do número de idosos em Portugal
levará a que diminua a procura de casas. E se
Portugal já sofria um impacto negativo de pouco
mais de 25% do envelhecimento demográfico
no sector imobiliário, entre 1970 e 2009, esse
impacto negativo irá chegar para perto de 80%
entre 2010 e 2050. O estudo foi realizado
pelo Banco Internacional de Pagamentos,
com o objectivo de descobrir o efeito do
envelhecimento populacional no preço dos activos
financeiros no futuro.
Jornal de Negócios
***
Já existem muitos estudos académicos que evidenciam a correlação entre o desenvolvimento económico e a sustentabilidade social com a demografia. Países com baixas taxas de natalidade não conseguirão massa crítica no espaço das duas gerações seguintes (50 anos). E se aquela diminuição das taxas de natalidade das populações autóctones for compensada com as taxas de natalidade das populações imigrantes, como acontece actualmente nos maiores países europeus, assistir-se-à a rupturas importantes a nível social e cultural. Os ideólogos do fundamentalismo islâmico sonham islamizar a Europa por esta via. Será aconselhável que os pais das adolescentes actuais comecem a mentalizá-las para a necessidade de começarem a pensar que terão de usar a burka e tapar o corpo até aos tornozelos. Maomé obriga!
Os políticos e os economistas europeus têm fechado os olhos aos efeitos de longo prazo das políticas económicas, preocupando-se apenas com os efeitos imediatos de curto-prazo, que não ultrapassam normalmente o período de uma legislatura. Em Portugal, o problema ainda é mais premente. As actuais medidas assumidas pelo governo de José Sócrates contra as famílias mais vulneráveis e a ausência de uma política consistente de apoio à natalidade vão ter repercussões futuras no equilíbrio demográfico e no desenvolvimento económico.

Sem comentários: