quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Texto: "rua do mundo" - por maria azenha

Fotografia © maria azenha, Agosto, 2013

"rua do mundo"

Nesta rua do mundo estremeço sob o arrepio das palavras que este livro contém.
penso muito baixo para que ninguém me ouça. talvez eu esteja querendo entrar para dentro do Sol, e ele só me serve para eu saber que conheço tudo às escuras. só depois é que vem o medo e eu grito para dentro de um poço tapado. os cavalos brancos correm invisíveis em meus olhos abertos de sono. às vezes sou estranha e misteriosa como debussy. e este homem é o sonho que estou escrevendo para dentro do sangue ... 

maria azenha

Nota: Este texto eleva-nos à quinta-essência da beleza literária, esgotando-nos a sensibilidade dos sentidos. Maravilhoso!

Sem comentários: