segunda-feira, 5 de agosto de 2013

POR CAMINHOS DO ALÉM - por Amadeu Homem


O Chico 76, conhecido por Papa Francisco, veio declarar que, de acordo com os exemplos de vida, os ateus poderiam ir para o Céu. Pessoalmente, confesso que desconheço qual será a IP ou a auto-estrada que deverei percorrer para ir para o Céu. E a minha ignorância vai ao ponto de também ignorar o itinerário para o Purgatório, bem como o trilho para o Inferno. Ora, a Instituição vaticanesca veio logo desmentir o Chico 76, declarando que ele estava equivocado: o destino de um ateu só poderia ser o Inferno. 
Fica-se sem saber quem é que manda na circulação metafísica das almas: o Vaticano institucional? O Chico 76? Um dos dois estará enganado. Ora, isto perturba muitíssimo as férias dos defuntos. Imaginemos que um deles, ou vários, queriam ir passar férias ao Inferno, onde presumivelmente estarão as gajas boas. Que fazer? Perguntar ao Chico 76 ou à Opus Dei? É uma encravação! 
Mas coloquemos como hipótese académica o caso de um crente, muito patife, querer dar uma olhada pelo Inferno. Ele poderá, neste caso, dar uma boleia a um ateu. Mas a meio do caminho aparecerá a Brigada Rodoviária Celestial a dizer : - Tenham paciência, não podem ir juntos. Tu, patife mas crente, vais dar um salto ao Purgatório, bebes por lá um copo, para purificar, e segues logo para o Céu. Quanto a ti, homem justo mas incréu, seguirás aquele carreiro, pois só podes ter guia de marcha para o Inferno. 
Parece-me que os caminhos do Céu deverão funcionar ainda pior do que a nossa Junta Autónoma das Estradas. O que é plausível. As Juntas obraram sempre mal, desde as Juntas Militares às juntas de bois.
Amadeu Homem
Professor Catedrático de História da Universidade de Coimbra

***«»***
Caro Professor, Amadeu Homem: Eu julgo que essa afirmação do Chico 76 (boa piada), de que os ateus também poderiam ir para o Céu, é uma armadilha. Uma vez lá chegados, seriam eles, os ateus, as vítimas das medidas de austeridade, que uma troika qualquer anda por lá a implementar, a fim de resolver a grave crise celestial, caracterizada por um défice orçamental de almas e por uma enorme dívida soberana, junto do credor Diabo. Por outro lado, essa troika exige o aumento de exportações de almas, e só um ceguinho é que não vê que seriam as almas dos ateus a marchar em fila indiana para o Inferno. Nestas condições, eu só quero ir para o Céu, com um bilhete de Ida e Volta.

Sem comentários: