quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Para onde vai a economia portuguesa?


O retrato não é animador. As empresas ainda
não estão a investir, o desemprego continua
a aumentar e o consumo privado teima em cair.
E a situação só tenderá a alterar-se a partir
de 2012.
As conclusões são do estudo Eurozone Forecast,
da Ernst & Young, que hoje está a ser apresentado
a nível europeu e que aponta para que a economia
portuguesa tenha regressado à recessão no segundo
semestre.
PÚBLICO
***
Na minha nota de rodapé de 23 Abril, a propósito da aprovação das medidas de austeridade, consignadas no PEC, escrevi o seguinte: "E a pergunta que se coloca inevitavelmente é esta: o que iremos fazer em 2013 com a economia, sabendo que o paradigma em que assentou o desenvolvimento económico do país nos últimos trinta anos se encontra completamente esgotado?". As conclusões do estudo Eurozone Forecast, da Ernst & Young, vêm dar a resposta correcta à pergunta então colocada. A economia portuguesa irá ressentir-se gravemente, já que o governo, que não fez o trabalho de casa em devido tempo, está a comprometer o crescimento de dois importantes pilares do sistema económico, cujas variáveis servem de referência para o cálculo do PIB - o investimento privado e o consumo interno. O aumento brutal do IVA, o imposto mais perverso e mais estúpido do sistema fiscal, já que não é equitativo, irá provocar enormes estragos no tecido produtivo do país. A diminuição do poder de compra da população, já de si precário ao nível das classes menos favorecidas, vai determinar a falência de muitas pequenas e médias empresas e o consequente aumento do desemprego, o que, pelo efeito de ricochete, mais pressão irá provocar sobre o consumo.
Perante esta negra perspectiva, dominada por um dramático clima de incerteza, também os investidores privados adiarão os seus projectos e os seus investimentos, o que se reflecte negativamente na oferta de novos postos de trabalho.
E a pergunta continua a ser esta: Para onde vai a economia portuguesa?

http://economia.publico.pt/Noticia/portugal-arrisca-um-regresso-a-recessao-no-final-do-ano_1458750