sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O ridículo mata!...


Quando passar numa das principais artérias da cidade de Lamego, não vai precisar de muita atenção para esbarrar numa original placa. Não se trata de um escritório de advogado, ou um consultório médico, nem mesmo de um gabinete de contabilidade, mas sim da novíssima profissão liberal de, imagine lá... deputado!! A mediocridade não enxerga além de si mesma, já dizia Doyle e, antigamente este tipo de pessoas recebiam apropriado adjectivo mas hoje, ainda que tal aconteça pouco lhes importa... já perderam a noção do ridículo e a vergonha!
Enviado pelo João Fráguas
***
Portugal sempre foi pacóvio e parolo. Neste caso, a ostentação é ridícula, mas eu julgo que a atitude deriva da nova cultura, reinante nas cúpulas do Partido Socialista, e que foi introduzida há uns anos atrás pelos aventureiros da política.
Lamego, a minha cidade, a cidade onde estudei, é pródiga em parir deputados, que se celebrizaram pelo ridículo. Há uns anos, Natália Correia vergastou com um poema satírico um deputado, também ele de Lamego, que, num discurso na Assembleia da República, para gáudio do país, defendia a cópula só para fins reprodutivos.

10 comentários:

Maria José Meireles disse...

Rir faz bem à saúde...

Alexandre de Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandre de Castro disse...

O problema, Maria José, é que as pessoas não sabem rir-se de si próprias. E é por isso que fazem figuras ridículas.
Obrigado pelo teu comentário.
P.S. No post do meu poema de hoje coloquei um link para o teu blogue.

Maria José Meireles disse...

ok

Graza disse...

O meu amigo "Paulo Barradas", também de Lamego, entre aspas para não se confundir com este, há muito a residir em França, não vai gostar de ver o seu nome escarrapachado desta forma cidade. Vou enviar-lhe a novidade.

Graza disse...

Rectifico: "...desta forma na cidade"

Alexandre de Castro disse...

Caro Grazina:
Espero que o seu amigo Paulo Barradas, a residir em França, não seja familiar do deputado lamecense. Nesse caso, seria preferível mantê-lo na ignorância.
Um abraço

paulo disse...

Sou o Paulo BARRADAS nativo de Lamego, vivendo en França hà mais de 30 anos!! Mas eu sou Lamecense de coração e raça, como diz a canção du serfio Godinho para os portugueses.. Esse pingas é um "Lamegueiro" que não tem medo do ridiculo.Ainda por cima é socialista!! Podia ser pior..Vivam aquels que discretament mas segurament contribuem mais e melhor par avançar...
Cordialemente
Paulo Barradas Lamecense!

Alexandre de Castro disse...

Caro Paulo:
Não sou lamecense, mas considero-me como tal, já que foi naquela cidade que passei a minha adolescência, tendo estudado no Liceu de Lamego. Por isso, a minha cidade é Lamego.
Tenho muito prazer em tê-lo como visitante deste espaço, através da mão amiga do João Grazina.
Espero que volte.
Cumprimentos
Alexandre de Castro

Anónimo disse...

Aqueles que, aqui e agora, criticam o deputado Paulo Barradas por ter aberto um escritório para trabalhar,receber as pessoas e tentar resolver-lhes os problemas, através de uma orientação ou palavra amiga, são os mesmos que criticam os deputados por serem calaceiros, parasitas e mandriões.
Aqui fica o meu aplauso ao Deputado Paulo Barradas pela iniciativa. E eu até votei PSD!
Parôlos e ridiculos, são aqueles que insistem em criticar quem quer contrariar o sistema politico vigente!
Xico do Pinto - Lamego