domingo, 26 de setembro de 2010

Farmville: Pensado para viciar, garante especialista

O Farmville é um verdadeiro engodo, assim como a filosofia que enforma o Facebook. Como diz este especialista da Universidade do Minho, que o Expresso entrevistou (ver ligação), o jogo apenas se destina a fidelizar os aderentes. Eu acrescentarei que existe naquele jogo a técnica manipulatória da infantilização, habilmente concebida para sublimar o desejo, que cada ser humano manifesta inconscientemente, de regressar aos tempos da infância, ou, pelo menos, de recuperar ludicamente a sua respectiva memória.
O próprio Facebook também utiliza várias técnicas para que a rede se multiplique em cascata.
Eu aderi com relutância ao Facebook, apenas para ser simpático para quem me convidava, mas rejeitei sempre, por higiene mental, corresponder às solicitações para aderir ao Farmville ou a qualquer outro jogo.
Acautelem-se os entusiastas do Facebook, pois as vossas mensagens podem acabar por chegar aos destinatários menos desejáveis ou aos mais inconvenientes. Já ocorreram, naquele mundo fantasiado e travestido de um enganador poder virtual, muitos amargos de boca e muitos dissabores. Não tardarão a surgir estudos sociológicos e investigações jornalísticas sobre esta matéria.
http://clix.expresso.pt/farmville-pensado-para-viciar-garante-especialista=f605434

7 comentários:

Anónimo disse...

Eu já vi o Zagalo a plantar tomates

Alexandre de Castro disse...

Anónimo:
Quem é o Zagalo, que não conheço. E que eu saiba os tomates são semeados e não plantados, julgo eu.

Anónimo disse...

Nelson Zagalo, investigador da Universidade de Minho.Pelos vistos não decorou o nome do Senhor.
Quanto ao semear ou plantar on-line tanto dá.Ou seja não sabe bem para que serve o jogo.

Alexandre de Castro disse...

Anónimo:
A ignorância está do seu lado. Ao não saber o modo de cultivo dos tomates, que não se plantam, antes se semeiam, não poderia ter visto o Zagalo, o investigador da Universidade do Minho, a plantar tomates, presumo que no Farmville. Deveria tratar-se de outro tipo de produto agrícola.
Temo que já não consiga distinguir um tomate de um pepino.

Anónimo disse...

Ignorante,ignorante não digo, mas penso que se tem de acrescentar urgentemente ao Farmville um Borda d´Água.
A propósito e os nabos? Serão de geração expontânea?

Alexandre de Castro disse...

Anónimo:
A ignorância continua do seu lado. Se eu comprendo que não saiba que os tomates não se plantam, antes se semeiam, já não compreendo nem desculpo que não saiba escrever correctamente português, condição necessária para que os seus comentários possam figurar neste blogue.
Aconselho-o vivamente a ir ao dicionário consultar a palavra "expontâneo(a)". Vai ver que não encontra, pois esta palavra, tal como a escreveu, não existe na língua portuguesa.Azar o seu.Pretendeu entrar como leão (ou leoa)e vai sair como sendeiro.

Anónimo disse...

O sendeiro apesar de não ter concluído ainda as novas oportunidades esclarece-o de que foi apenas e só um descuido ao teclar, mas também se pode incluir o erro no novo acordo horto-gráfico (tomates.pepinos,etc).