quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Delitos papais. A vida sexual nada santa dos papas



Na história da Igreja há Papas violadores, homossexuais,
fetichistas, incestuosos e até zoofílicos.
São mais de 300 páginas com centenas de histórias pouco
santas sobre a vida sexual dos Papas da Igreja Católica.
O livro do jornalista peruano Eric Frattini, recém-chegado
às livrarias portuguesas e editado pela Bertrand, percorre,
ao longo dos séculos, a intimidade secreta de papas e
antipapas, mas não pretende causar "escândalo". Apenas
"promover uma reflexão sobre a necessária reforma da
Igreja ao longo dos tempos".
O escritor admite, aliás, que alguns dos relatos possam ter
sido inventados, nas diferentes épocas, por inimigos políticos
dos sumos pontífices. Lendas ou verdades consumadas, no
livro "Os Papas e o sexo" há de tudo. Desde Papas violadores
e zoofílicos a Papas homossexuais e fetichistas, além de Santos
Padres incestuosos, pedófilos ou sádicos, passando por Papas
filhos de Papas e Papas filhos de padres.
Jornal "i"
***
A história dos Papas é a história da infâmia e do crime. Os escândalos sexuais praticados pelos representantes de deus, mataram o próprio deus, se é que ele, realmente, alguma vez existiu. O opróbrio manchou irremediavelmente as paredes do Vaticano. Não admira, pois, que a igreja católica esteja pejada de padres pedófilos, que passaram impunes à justiça canónica e à justiça secular. A ignomínia chegou ao ponto de ter existido um Papa,Urbano II, que criou uma lei que permitia aos padres terem amantes, desde que pagassem um imposto.
http://www.ionline.pt/conteudo/78038-delitos-papais-vida-sexual-nada-santa-dos-papas