terça-feira, 18 de outubro de 2011

Viagens em executiva para membros do Governo só em voos com mais de quatro horas

Voos em classe turística/económica passam a ser
obrigatórios em viagens até quatro horas
Fotografia: Carlos Lopes/PÚBLICO
Membros do Governo, chefes e adjuntos dos gabinetes ou chefes de missão diplomática deixam de poder viajar em classe executiva em voos até quatro horas, estabelece a proposta de Orçamento do Estado para 2012 que o Governo apresentou esta segunda-feira.
PÚBLICO
***
Com esta medida, apenas são abrangidos os voos entre Lisboa e as Berlengas (uns ilhéu rochoso, do tamanho de uma casca de noz, a 150Km da capital *). Para outros destinos, aquele limite de quatro horas envolve o tempo de viagem de ida e volta. Caso venha a ser contabilizado o tempo da viagem entre o hotel e o aeroporto, também os voos para o Porto ou para Faro ficam de fora daquela medida restritiva. Se isto não chegar, para ultrapassar aquele inoportuno limite das quatro horas, telefona-se para a polícia a informar que há uma bomba a bordo.
* Informação necessária para os leitores brasileiros, que são muitos.