sexta-feira, 5 de julho de 2013

Poema: Aviso por causa das pombas - por maria azenha

óleo - Olga Oreshnikova
Imagem selecionada pela autora.

Aviso por causa das pombas

recebi uma carta 
uma carta
em forma de pombal.

Depois

com um pequeníssimo corte
separei as pombas para um lado
e o pombal para o outro

no sítio das pombas ficou o pombal
no sítio do pombal ficaram as pombas

e no sítio de ambas ficaram as pombas
e as pombas das pombas
que fugiram do pombal

por ultimo e em desespero de causa
o carteiro
cravou um punhal no pombal

moral por causa das pombas:
“mais vale uma pomba na mão
que duas em forma de pombal!”

in P.I.M., 1999

Nota: Porque se trata de um “Aviso”, com recados subliminares, que só a autora pode entender, este poema de Maria Azenha, publicado em Poemas de Intervenção e Manicómio, foge, no tema e no estilo, ao figurino metafórico poético que marca a identidade da sua poesia. Aqui, serve-se de “trocadilhos” engenhosos, que não deixam de ser metáforas, ao nomear as pombas, o pombal e as pombas que fugiram do pombal, para transmitir o seu inquietante “Aviso”. Por fim, fica-se a saber que o carteiro é que é o mau da fita, ao estragar a festa no pombal, ao desferir um golpe certeiro com aquele assassino punhal.

Devido a uma avaria informática, ocorrida há dois dias, só hoje se publica o habitual poema da "poeta" Maria Azenha, que deveria ter sido publicado ontem, Quinta-feira. Do facto, pedimos desculpa à autora e aos leitores.