domingo, 21 de julho de 2013

O Tribunal deu razão a quem a tinha...

Estive por aqui, algures...

SINDICATO DOS MÉDICOS DA ZONA SUL

COMUNICADO

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul saúda a decisão judicial sobre a Maternidade Alfredo da Costa
A decisão judicial hoje divulgada sobre a manutenção do funcionamento da Maternidade Alfredo da Costa (MAC)  constitui um exemplo de sensatez, de defesa do interesse público e de preocupações humanas.
O Sindicato dos Médicos da Zona Sul/FNAM desde o início deste complexo processo de desmembramento da MAC tem participado ativamente na contestação dessa decisão iníqua do atual Governo e do seu Ministério da Saúde, participando nos diversos plenários dos trabalhadores da Maternidade e nas múltiplas iniciativas de cidadãos em defesa desta unidade hospitalar.
Importa reafirmar que esta Maternidade é uma unidade de elevada diferenciação técnico-científica ao nível das melhores unidades existentes no plano internacional.
A questão nuclear que sempre se colocou na salvaguarda da experiência, da qualidade técnico-científica e da capacidade de respostas céleres aos mais complexos problemas clínicos foi a manutenção integral da equipa global desta maternidade.
Para se atingirem patamares tão elevados de qualidade assistencial tem de haver uma experiente e atuante sinergia entre todos os serviços e um nível equivalente de diferenciação técnico-científica.
Ora, a MAC cumpre, desde há muitos anos, estes requisitos e tem constituído um dos bons exemplos da qualidade assistencial do nosso SNS.
Apesar das promessas iniciais do Ministério da Saúde de que a equipa global da MAC seria preservada, cedo se verificou que as medidas em desenvolvimento visavam desmantelar os vários serviços e dilacerar qualquer perspetiva de manter a experiência acumulada.
A posição já assumida publicamente pelo Ministério da Saúde de que irá recorrer da decisão judicial acaba por mostrar de que lado se posiciona perante os bons exemplos do nosso SNS: do lado dos que querem destruir gradualmente esses exemplos para mais facilmente destruir o próprio SNS e o direito constitucional à saúde.
Em vez de aproveitar esta decisão judicial para procurar corrigir todo o percurso encetado e repensar globalmente o processo, o Ministério da Saúde mostra que tem objetivos de obstinação política na destruição efetiva da MAC e que quer continuar a usar, como até aqui, a prepotência e a política do facto consumado.
O Sindicato dos Médicos da Zona Sul/FNAM saúda a decisão judicial, saúda o grupo de cidadãos que corporizaram a providência cautelar e saúda particularmente a firmeza e o empenhamento dos vários estratos de trabalhadores da MAC na defesa da sua instituição e da sua nobre missão humanista.
O Sindicato dos Médicos da Zona Sul/FNAM reafirma a sua posição de princípio de que desenvolverá todos os esforços ao seu alcance para continuar a apoiar esta luta de defesa da MAC para bem dos muitos milhares de cidadãs e respetivos filhos que são objeto dos qualificados cuidados assistenciais prestados por essa instituição.
 Lisboa, 19/7/2013
 A Direção