segunda-feira, 28 de maio de 2012

Alegada investigação a Balsemão é “atentado gravíssimo” à democracia - diz bastonário


O bastonário da Ordem dos Advogados considera que a alegada investigação da vida privada de Francisco Pinto Balsemão, presidente da Impresa, por Jorge Silva Carvalho é “um atentado gravíssimo” à democracia, que deve ser “investigado até às últimas consequências”. Contactado pela agência Lusa, Marinho Pinto, afirmou que, a confirmar-se o caso, é “um atentado gravíssimo aos direitos pessoais do visado, mas também um atentado ao próprio Estado de Direito, aos valores fundamentais do Estado de Direito”. Para o bastonário, este caso “tem de ser investigado até às últimas consequências”, para “apurar todas as circunstâncias que envolvem a feitura desse relatório”, nomeadamente “que tipo de devassas foram feitas, quem as fez, a mando de quem, utilizando que meios (...) e que fins visava servir”. “É gravíssimo que uma pessoa que deteve responsabilidades públicas tão elevadas como ele [Jorge Silva Carvalho] na hierarquia do Estado, chefiando o serviço de informações estratégico para a República, saia e vá utilizar os mesmos meios e os mesmos métodos ao serviço de empresas privadas, visando dirigentes de empresas concorrentes”, disse ainda Marinho Pinto
PÚBLICO
***
Já não bastava o terrorismo social praticado pelo governo, que ameaça arrasar a economia do país, surge agora a ameaça letal do gangsterismo das polícias secretas portuguesas, dirigidas em tempos por um Al Capone de terceira categoria, com quem um ministro do atual governo evidenciou uma perigosa conivência.
Os factos que constam no processo de investigação judicial são muito preocupantes. Eles mostram o grau de degenerescência a que chegou o sistema democrático. Se este escabroso caso não tiver consequências judiciais e políticas, então, o melhor, é encerrar o país para obras.
 http://www.publico.pt/Política/secretas-alegada-investigacao-a-balsemao-e-atentado-gravissimo-a-democracia-diz--marinho-pinto--1547843

Sem comentários: