quarta-feira, 4 de abril de 2012

Governo garante que cortes dos subsídios "não podem ser permanentes"

Carlos Moedas (Fotografia do PÚBLICO)
O secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, garantiu hoje que a posição do Governo em relação ao corte do 13º e 14º meses não mudou. A suspensão é temporária e vigorará apenas enquanto durar o programa de ajuda externa.
PÚBLICO
***
Fixem bem a cara deste homem. Daqui por uns meses, talvez tenhamos de o confrontar com as declarações proferidas.

4 comentários:

Sónia M. disse...

Alexandre, palpita-me até que usará da mesma vergonha (ou falta dela) que todos os outros que têm dado o dito pelo não dito!
Beijos

Alexandre de Castro disse...

Comentário retirado do Facebook:

Joaquim Pereira Silva: Alexandre, afinal não foi preciso esperar mais que umas horas. O Ministro Sinistro (com aquele ar de psicopata amoral que parece estar a afagar uma criancinha enquanto a esquarteja), confirmou hoje o mesmo, mas já adiantou para o fim dos cortes o ano de 2014. E o primeiro mentiroso já veio acrescentar que só em 2015 e faseados. Esta troika (Pedro, Gasparzinho e adjunto), só à bomba. Pode ser que ainda venham a ter que prestar contas.

Alexandre de Castro disse...

Amigo Joaquim Pereira Silva:
Não foram necessários meses, mas apenas algumas horas, para que aquele insignificante secretário de Estado fosse desmascarado. Por outro lado, temos um primeiro-ministro mentiroso, que, em relação ao esbulho dos subsídios, não está a honrar os seus compromissos. Se esta mentira não tiver consequências políticas, então, vou chamar o Otelo e mandar retirar os touros do Campo Pequeno.

Alexandre de Castro disse...

Sónia:
A torpe mentira e o discurso falacioso já fazem parte do "Manual do Político". São práticas já praticamente institucionalizadas e que ultrapassam o decoro e o bom senso.
Obrigado, pelo seu comentário.
Bjs.