terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O Latim também é uma língua traiçoeira!...


'ADEMUS AD MONTEM FODERE PUTAS
CUM PORRIBUS NOSTRUS'

Tradução:
'VAMOS À MONTANHA PLANTAR BATATAS
COM AS NOSSAS ENXADAS'

9 comentários:

olimpio pinto disse...

Apesar da eventual adequação linguística/humorística, ponho algumas dúvidas histórico/geográficas: as batatas só foram conhecidas na Europa a parir do início do Séc.XVI.

Alexandre de Castro disse...

Tens toda a razão, Olímpio. O tubérculo da batata e o milho, oriundos da Amérca do Sul e da América Central, foram introduzidos na Europa pelos espanhóis e vieram a constituir uma das bases da revolução agrícola dos séculos XVI e XVII, que, ao melhorar a dieta dos povos europeus,teve reflexos muito positivos a nível demográfico, com o súbito e continuado aumento da da taxa da natalidade.
Mas existe na realidade uma frase em latim, que ouvi muitas vezes o meu pai citar, que explorava, à volta da palavra latina, FODERE, o humor do significado na sua tradução para português. Se a memória não me atraiçoa, a frase traduzida não era a mesma. Julgo até que aparecia a palavra "mães". Mas como não estudei latim, fico assim. Talvez algum leitor possa fazer a correção necessária, ao encontrar a tal frase latina, que, na esteia da mesma ironia, não atropele o rigor histórico, tal como esta atropelou, facto pelo qual peço desculpa aos leitores.

olimpio pinto disse...

Claro! Também não "pesco" de latim...
O importante é o humor, muito preferível à possível "adequação".

"Se non è vero, è bene trovato."

Sónia M. disse...

E passamos das peras às batatas...

Alexandre de Castro disse...

A Sónia deu um tiro certeiro no meio desta confusão. A sua ironia ultrapassou em subtileza aquela que se pretendia alcançar com a tradução de uma frase latina. Mas nunca se sabe se ficaremos pelos rabos de pêra e pelas batatas. Outros produtos hortícolas e frutícolas poderão vir embelezar este horto. Ou até, derivar a conversa para o discurso filosófico, dissertando-se, por exempolo, sobre a lógica da batata.
Obrigado pela sua intervenção. Bjs.

olimpio pinto disse...

Quer de pêras quer de batatas
Se pode fazer aguardente
Mas... francamente,
Só a Pêra... é mesmo ardente!

Sónia M. disse...

Aguardente de batatas? Essa não conheço! Era o meu avô que era especialista na matéria das aguardentes, fazia-as como ninguém!
Já o meu pai...bem...esse é mais de pêras!

E agora retiro-me de mansinho....

Beijos

olimpio pinto disse...

Ex. - O "Vodka" faz-se de batatas (e de cevada,centeio,trigo...figos...)
por destilação após fermentação...

Não será por acaso que se diz (ou dizia): "aquele sujeito é um homem e pêras!"

Bjs.

Anónimo disse...

Meus caros, posso garantir-vos que a tradução está correta. Não nos esqueçamos que, contrariamente ao que se diz vulgarmente, o latim não é uma língua morta, e entre os académicos fala-se latim. Provavelmente não se trata de uma tradução do Latim para o Português, mas uma translação do Português (já depois da existência das batatas) para o Latim.

Ah, a propósito, “Se non è vero, è bene trovato” é italiano, não latim.

Sem mais
Doutor Campos Monteiro