sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Notas do meu rodapé: Uma narrativa que é necessário reescrever...

Fernando Pessoa: do poema A Mensagem

A minha amiga, Maria Gomes, transcreveu na sua página da internet, com grande oportunidade e sagacidade, um trecho de um texto, de Vergílio Ferreira, o nosso escritor do existencialismo, que dizia assim:

" Já há oito séculos, meu povo, escreves
A história para os outros.
É tempo agora de escreveres a tua."

Ocorreu-me deixar-lhe o seguinte comentário:

"Premonitório! Quase profético! Ainda não conseguimos escrever a nossa verdadeira história, aquela narrativa redentora da nossa idiossincrasia, para que possamos afirmarmos-nos livres e independentes, estado que, na realidade, ainda não atingimos. Na História Moderna fomos sempre dominados. No século XIX, a Inglaterra emprestava-nos dinheiro, com juros, para lhe comprarmos maquinaria industrial, para o caminho de ferro e para as fábricas. No século XX, comprámos ideologias aos americanos, que nos intoxicaram com produtos sub-culturais. No século XXI, a Europa escravizou-nos com a dívida, ganhando mais-valias, e agora empresta-nos dinheiro, a juros, para a pagarmos, arrastando-nos para a indigência.
Tudo isto é muito pesado e ignóbil, para um povo que contribuiu decisivamente para a modernidade (sem se modernizar atempadamente a si próprio, em cada época histórica), e que construiu a primeira globalização intercontinental, ao quebrar, com génio e audácia, o isolamento da Europa, face ao mítico e rico Oriente". 

Sem comentários: