quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Com uma toponímia destas, o que é que queriam?!...


O governo está com sérias dificuldades em extinguir estas freguesias, no âmbito da reforma administrativa em curso. As respetivas populações não querem abdicar daquilo que consideram ser o seu património toponímico. É certo que os habitantes de algumas freguesias não se importariam de associar-se com freguesias com topónimos afins, mas as respetivas localizações territoriais encontram~se em concelhos diferentes, o que inviabilizou a proposta.
Assim,, os habitantes de Paneleiro de Baixo, da Guarda, gostariam de mudar o topónimo para Paneleiro de Cima e associarem-se aos de Tiracalça, de Castelo Branco. Já os habitantes de Vale da Rata, de Viana do Alentejo, gostariam de receber euforicamente os da Picha, de Pedrogão Grande. Os habitantes de Rego do Azar, de Ponte de Lima, e os de Rego Travesso, de Tábua, abraçaram a bondade da ideia, justificando-a com o benefício de ficarem com dois regos. Quando um rego entupisse, abria-se o outro.
Os mais ambiciosos, foram os habitantes da freguesia de Monte do Coito Grande, que queriam associar-se com as freguesias Catraia do Buraco, Colo do Pito, Fonte da Rata, Entalada e Esfrega. Dizem eles que, com uma fusão destas, até formavam um concelho.