sábado, 21 de janeiro de 2017

Donald Trump: um político atípico e controverso...


Donald Trump, através das suas declarações públicas assumidas, está a revelar-se um líder atípico e controverso, que não se enquadra no tradicional perfil político-partidário do mundo ocidental, centralizado na existência de dois partidos, aparentemente antagónicos, mas que se confundem na comum defesa e aceitação do sistema político e económico, instituído nos países ocidentais.

Trump, de certa forma, veio baralhar esta conformidade, criada e consolidada, na sequência da segunda guerra mundial e aprofundada, posteriormente, com a globalização. Principalmente, em relação à política externa, ele vai dividir a meio os dois partidos, o Republicano e o Democrata, quer na cúpula, quer nas bases, criando, em ambos, apoiantes e opositores. A aproximação à Rússia, a declarada hostilidade em relação à China e um certo distanciamento e desinteresse em relação à Europa - as três questões, onde ele foi mais claro e assertivo - são as que mais cócegas vão fazer nos dois aparelhos partidários e aos congressistas e aos serviços secretos (CIA e companhia).

Já, em relação ao Médio Oriente, ele foi errático nas suas promessas, nas quais não se percebem bem as suas intenções e os seus objectivos. Talvez aqui, tenha imperado alguma prudência, pois a política a seguir no Médio Oriente é a que mais interessa ao poderoso lobie sionista, que não irá permitir desvios à política dos EUA, sobre Israel.

A nível interno, é de esperar a assumpção de uma política neoliberal pura e dura, com algum populismo à mistura.

Alexandre de Castro

2017 01 21

Sem comentários: