segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Um adeus do Alpendre da Lua



Depois de mais cinco anos de edição, quase ininterrupta, o Alpendre da Lua chega ao seu fim, pela simples razão de que tudo aquilo que começa tem de acabar.
Iniciada a sua edição, no dia 21 de Maio de 2009, com a publicação do poema “Alba”, de Eugénio de Andrade, e atingindo uma expressiva dimensão estatística reproduzida no registo de 177.779 visitas, 21o seguidores, 318.825 visualizações de páginas e 3.809 publicações, o Alpendre da Lua vagueou por uma grande diversidade de temas, tendo-se posteriormente fixado na abordagem de temas políticos, económicos e ideológicos, com especial destaque para os referentes à crise financeira do nosso país, em que se procurou desmontar criticamente todas as narrativas que tentavam obscurecer as suas verdadeiras causas, assim como os hiperbólicos e delirantes elogios às erradas soluções para a resolver, e onde não faltou quem tivesse deitado mão ao argumento irracional das inevitabilidades.  
Foi um trabalho intelectualmente edificante e gratificante, além de ser também um trabalho civicamente militante. Sinto-me, pois, compensado.
Uma palavra de agradecimento para os vários colaboradores e colaboradoras, que, com os seus textos e as suas imagens, prestigiaram com o seu reconhecido mérito este blogue.
Mas o grande agradecimento vai para todos aqueles leitores, a maioria deles leitores anónimos, que passaram por aqui e que deram toda a razão de ser para que o Alpendre da Lua pudesse ter existido.
Obrigado.

Alexandre de Castro

7 comentários:

Sónia M. disse...

Sempre que alguém diz adeus, há alguém que fica mais pobre...

Beijo


Anónimo disse...

Tenho pena desta notícia. Foi um prazer acompanhar e informar-me, através da vista de um "Alpendre da Lua", do que se passou no planeta Terra ao longo destes anos. Prevejo que o Tio ainda há-de voltar e ressuscitar o blogue.

Beijinhos,
João Mota (sobrinho)

Súh Floyd disse...

Que pena,tenho um prazer enorme em seguir seu blog! Não vou dar adeus,pq odeio essa palavra,tenho certeza que VC vai voltar com um outro blog!!!! Adorei fazer parte de seu blog!! Beijos de sua amiga suh Floyd!!

maria disse...

Querido Poeta,

neste espaço senti-me sempre em verdade e com afecto, coisas tão raras nos tempos actuais.

Creio que os ciclos existem. E creio que tudo se renova noutras formas. Deixo aqui o meu apreço pela pessoa que se afirma em prol de um Todo,a Humanidade, o Poeta, o homem de olhar de lince, sempre acutilante. É meu desejo voltar a encontrá-lo noutro espaço.
Há figuras humanas que são importantes e não se podem apagar da História que vamos construindo diariamente!

Da minha parte um Obrigada!


Abraço fraterno,

maria azenha

Anónimo disse...

Fiquei triste com a notícia.
Estou a torcer para que o Alpendre regresse.

Beijinhos


Renata Mota (sobrinha)

Mar Arável disse...

Aguardo na minha escarpa

Abraço
amigo

Maria disse...

Grata pela companhia que o Alpendre da Lua me fez.

Beijinho